Como montar um projeto esportivo: passo a passo

Criamos um passo a passo para você tirar as suas ideias do papel e transformá-las em realidade de um jeito rápido e com chances mais altas de serem aprovadas pela prefeitura da sua cidade e outros órgãos. Descubra como montar o projeto esportivo ideal!

Projeto esportivo

A montagem de um projeto esportivo passa pela definição de um título e de objetivos, pelo desenvolvimento de uma justificativa para ele acontecer e pela apresentação de seus beneficiários, do endereço onde será sediado, de uma metodologia, um orçamento e um cronograma, entre outros pontos.

Cada vez mais, o esporte é considerado uma peça fundamental na vida de crianças e adolescentes e contribui com o desenvolvimento psicológico, emocional e físico de cada um, assim como de adultos e até mesmo idosos.

Logo, quem decide pela criação de um projeto social esportivo e tem sua proposta aprovada está agregando até mais do que imagina para a vida de muita gente! Você quer ser essa pessoa? Continue a leitura para saber o que fazer.

O que é um projeto esportivo?

É uma iniciativa de alguma pessoa física ou jurídica que tem como objetivo levar o esporte para a vida das pessoas.

Na maioria das vezes, ele é inscrito pelo seu criador em órgãos sociais ou governamentais e pode se tornar, por exemplo, um projeto esportivo para prefeitura, caso aprovado.

Assim como qualquer outro plano de ação, precisa ter começo, meio e fim, ser executado e monitorado pelo seu responsável e depois encerrado da melhor forma – com premiações e medalhas, por exemplo.

Qual o objetivo de um projeto esportivo?

O principal objetivo de um projeto esportivo é atrair pessoas e, principalmente, crianças e adolescentes para conhecerem novos esportes e preencherem seu tempo livre com hábitos saudáveis.

No caso de crianças e adolescentes, iniciativas assim têm enorme validade quando acontecem em horários diferentes dos horários escolares.

Eles acabam mudando a realidade de muitos jovens a baixo ou nenhum custo quando são sociais e os incentivam a adotar a prática de determinado esporte como um novo hobby ou como profissão.

Dentre outras vantagens para qualquer idade, destacam-se:

  • interação social;
  • sensação de pertencimento;
  • compreensão de sentimentos negativos e como trabalhá-los;
  • melhora do condicionamento físico; e
  • aumento da qualidade e expectativa de vida.

Se quiser passar todos esses benefícios adiante, confira as dicas que trouxemos a seguir.

10 passos para montar um projeto esportivo

O passo a passo para a montagem de um projeto esportivo com grandes chances de aprovação possui, ao todo, dez etapas. Elas incluem as principais exigências da maioria dos órgãos que recebem inscrições de iniciativas do tipo. Conheça!

1.  Defina um título

O título é o primeiro item de qualquer planejamento de atividades esportivas e a primeira coisa que salta aos olhos de quem vê o documento. Por isso, ele deve, de alguma forma, resumir o objetivo da iniciativa.

Acrescente ao título também alguma coisa sobre os resultados que você espera a partir daquilo que vai apresentar aos avaliadores e, se tudo correr bem, colocar em prática.

Uma ideia seria: "Futebol para crianças e jovens do [nome do bairro]: o tempo nas ruas ou na frente de telas dando lugar à interação e desenvolvimento de habilidades socioemocionais".

Seguir essa estrutura pode funcionar!

2.  Trace objetivos claros

Depois do título, descreva as intenções e expectativas principais do seu projeto. É nesse momento que você vai explicar qual a transformação proposta às pessoas que participarão da iniciativa e apresentar diferenciais que podem impactar na decisão dos avaliadores.

Comece explicando o objetivo geral e depois passe para os específicos. Aqui, fique à vontade para falar de expectativas pessoais e sociais que você espera atingir.

Os objetivos devem ser descritos de forma sucinta e clara para que quem está lendo o documento consiga entender rapidamente as razões de aprovar e/ou investir na sua ideia.

Lembre-se: eles são diferentes das metas.

3.  Estabeleça metas

As metas estão diretamente ligadas aos objetivos gerais e específicos do item anterior, mas não são a mesma coisa: podemos considerá-las um tipo de explicação mais detalhada de cada objetivo.

Apresente metas quantitativas – faça uma pesquisa na comunidade e traga números relacionados à importância da implementação do projeto – e qualitativas, relacionadas aos possíveis impactos sociais da iniciativa.

4.  Redija uma justificativa para a existência do projeto

Uma vez estabelecidos objetivos e metas, terá chegado a hora de escrever a justificativa para a sua proposta virar realidade. Faça questão de trazer, nela, uma resposta para um problema ou uma necessidade identificada no público que você pretende atingir.

Seu projeto esportivo tem a ver com futebol em uma comunidade da cidade? Você pode justificá-lo dizendo que ele resultará na criação de um time de futebol, com aulas gratuitas duas vezes por semana para as crianças de determinadas escolas da região.

Antes de passar para o próximo tópico, apresente, ainda, comprovações de que você, como pessoa física ou jurídica, possui capacidade técnica e operacional para dar sequência ao plano.

5.  Defina o(s) beneficiário(s)

Em outras palavras, decida quem será o seu público-alvo; quem será beneficiado por aquilo que você deseja colocar em prática.

Ao definir os beneficiários, destaque:

  • quem são essas pessoas que a proposta deverá alcançar;
  • quais os motivos que levaram você a estabelecer essas pessoas como o público-alvo da sua ideia; e
  • como elas serão atingidas.

Se possível, diferencie beneficiários diretos e indiretos e apresente uma explicação sucinta sobre a diferença entre eles.

Por exemplo: os beneficiários diretos da criação do time de futebol que mencionamos anteriormente são as crianças e jovens que saem da escola e têm uma atividade para fazer no tempo livre.

Mães, pais ou responsáveis delas, que trabalham fora o dia todo, podem ser consideradas beneficiárias indiretas do projeto.

Vale dizer: o público-alvo deve conversar com as metas, justificativas e objetivos da iniciativa.

6.  Escolha um local para sediar o projeto

Visite alguns espaços e decida onde a iniciativa vai acontecer se sair do papel. Descubra informações importantes sobre o local, como capacidade máxima, horário de abertura e fechamento e traga essas informações na apresentação da ideia.

Descreva cautelosamente os ambientes do espaço selecionado e o que vai acontecer em cada um deles. Só assim os avaliadores poderão analisar a viabilidade do projeto naquele determinado local ou levar a você pedidos de mudanças que deverão ocorrer até a data de início do projeto.

7.  Liste ações necessárias

Agora, é hora de listar todas as ações necessárias para colocar o projeto de pé! Desde captação de recursos, passando por compra material e chegando às estratégias de divulgação.

Não pule nenhuma etapa e apresente descrições bem completas, inclusive para facilitar o seu trabalho caso a aprovação aconteça. Além disso, revise várias vezes a lista antes de entregá-la para ter certeza de que não esqueceu nenhuma etapa.

8.  Crie uma metodologia

Depois de descrever o conjunto de ações, explique como você pretende colocá-las em prática e, a partir da explicação, crie uma metodologia para o seu plano ser executado.

Pesquise por exemplos e inspirações em fontes confiáveis da internet ou converse com outras pessoas que já tenham passado pela mesma situação para entender o que fazer e o que não fazer.

Inclua na metodologia atividades previstas não só para os atletas, mas para os convidados e descreva, por escrito, como elas serão realizadas.

9.  Crie um cronograma das atividades

Completou todos os pontos com louvor até aqui? A gente pode apostar que você está mais leve e com mais certeza de que a ideia tem grandes chances de aprovação!

Mas, não deixe em segundo plano os últimos dois itens e dedique o tempo que for necessário para o cronograma das suas atividades e a fixação de um orçamento preciso.

No cronograma, cite:

  • atividades propostas;
  • tempo de realização de cada uma;
  • ambientes nos quais serão realizadas;
  • pessoas envolvidas;
  • horário previsto para início e término; e
  • programação sugerida para acontecer entre uma atividade e outra.

Quanto mais detalhes, melhor!

10.  Fixe um orçamento

Por fim, descubra quanto você precisará de dinheiro para toda a sua ideia acontecer impecavelmente e faça constar no documento não apenas os valores, mas as aplicações de cada quantia.

Para um orçamento realmente fiel, considere despesas com:

  • materiais;
  • uniformes;
  • infraestrutura e locação do espaço, se houver;
  • limpeza e manutenção; e
  • recursos humanos.

Pesquise preços antes de bater o martelo e entenda, em detalhes, todos os custos de um projeto esportivo para, finalmente, registrar a sua iniciativa.

Como registrar um projeto social esportivo?

Todo e qualquer projeto social é registrado pelo site do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) com um nome de marca.

Esse nome precisa ser criado por você também através do site do INPI e o ajudará até mesmo a proteger a sua iniciativa de ser mencionada em contextos indevidos ou de ser colocada em prática por outras pessoas.

O Instituto Guga Kuerten ou IGK é um exemplo de marca de um projeto social esportivo e tem seu nome atrelado ao do ex-jogador de tênis mundialmente famoso, Gustavo Kuerten. O Instituto Neymar Jr. é outro exemplo bastante parecido.

Inspire-se neles e siga as seguintes etapas:

  1. Procure no banco de dados do INPI se o nome que você pensou para a marca ou algum nome similar está disponível. Escolha o que fizer mais sentido para você.
  2. Siga as orientações do site para concluir o cadastro.
  3. Pague a Guia de Recolhimento da (GRU), emitida logo após a conclusão.
  4. Aguarde a confirmação do pagamento e dê início ao pedido de registro da marca usando o seu número de protocolo da GRU.

Se possível, anexe ao pedido o logotipo que você também vai usar. O acompanhamento do andamento da sua solicitação acontece pelo próprio site do INPI, então, acesse-o com frequência para não perder nenhuma notificação ou prazo.

Enquanto isso, levante alternativas de captação de recursos.

Como captar recursos para projetos esportivos?

A Lei de Incentivo ao Esporte, criada em 2006, é uma das alternativas de captação de recursos para projetos esportivos.

Também conhecida como Lei nº 11.438, ela foi criada para permitir que empresas ou pessoas físicas doem uma parte do valor que devem ao Imposto de Renda para a realização de eventos sociais desse tipo, aprovados pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania.

Pessoas físicas podem doar até 6% do valor que seria pago à Receita Federal após a declaração do IR e não precisam fazer a doação total para um mesmo projeto, podendo reparti-la em várias ações sociais.

Pessoas jurídicas só podem doar 1% para uma única ideia, mas têm a vantagem de verem seus nomes estampados em espaços e campanhas relacionados à atividade quando ela acontece.

Doações espontâneas dentro e fora da Lei do Incentivo ao Esporte também são fundamentais para a execução de muitas ideias.

Está tudo pronto e agora você precisa divulgar o evento?

O marketing e a divulgação são essenciais para a construção e o sucesso da sua empreitada. Por isso, investir nessas áreas é quase tão importante quanto investir em materiais de treino e na locação do espaço da atividade.

A Atletis é uma plataforma pensada para organizadores de todos os tipos de atividades esportivas criarem seus eventos de forma digital e segura e, quando o seu evento estiver criado e online, qualquer pessoa que procurá-lo por nome ou cidade conseguirá encontrá-lo.

Faça o teste, é só logar e começar a usar!

Material enviado com sucesso!

Em alguns instantes você vai receber os materiais na caixa de entrada do seu e-mail. Caso não receba, lembre-se de conferir o SPAM ou Lixo eletrônico.

O que você achou do post?

32 Respostas

Deixe seu comentário