Esporte para deficientes: um passo para a inclusão social

Pensando em proporcionar saúde, lazer e inclusão, conheça os principais esportes adaptados para deficientes e traga acessibilidade ao seu evento!

Esportes para deficientes

Quando falamos sobre o esporte para deficientes, a primeira ideia que deve aparecer em nossas mentes são os aspectos positivos do esporte: sejam eles físicos, psíquicos e até mesmo os sociais.

O esporte melhora a atividade cardiovascular, a força, coordenação motora, agilidade e equilíbrio. É capaz de aperfeiçoar a autoestima e autoconfiança, tornando a pessoa mais segura, enquanto colabora para a inclusão social.

Com o aumento da conscientização na busca de uma vida mais saudável e bem-estar físico e mental, surge o esporte adaptado.

Essa categoria esportiva consiste em mudanças de regras, locais e materiais que possibilitam a participação de pessoas com deficiência em diversas modalidades.

Na hora de realizar um evento adaptado, lembre-se de pesquisar sobre as leis que isentam inscrições de pessoas com deficiência física, pesquisando também sobre a possibilidade de porcentagens de desconto ou meia-entrada, que funcionam também como incentivo à participação.

As obrigatoriedades variam de acordo com leis nacionais, estaduais e municipais. Para melhor compreensão, tire suas dúvidas e certifique-se sobre o assunto na prefeitura da cidade em que ocorrerá o evento.

Pensando na importância de ofertar acessibilidade ao esporte, cultura e lazer para pessoas com deficiência, listamos alguns esportes. Segue com a gente!

Esportes para deficientes visuais

Futebol de 5

O futebol de 5 é um dos esportes adaptados para deficientes visuais disputado em uma quadra muito parecida com a de futsal.

O diferencial desse esporte é o goleiro, que tem total capacidade visual. Além disso, a bola emite um som, para que os jogadores sejam orientados durante o jogo.

A partida é dividida em dois tempos, de 25 minutos cada, com um intervalo de 10 minutos.

Lembre-se que os competidores devem utilizar vendas nos olhos, pois alguns podem possuir percepção luminosa, o que poderia ser vantagem na partida.

Goalball (ou Golbol)

Essa é uma modalidade criada exclusivamente para deficientes visuais. Foi integrada nos Jogos Paraolímpicos, em 1976, e consiste em percepções auditivas, táteis e orientação do espaço físico do atleta.

Uma bola é lançada para rolar no chão da quadra e os jogadores devem tentar fazer o gol. Uma equipe deve atacar e outra deve permanecer deitada no chão para fazer a defesa do gol.

Cada equipe deve possuir três jogadores e vence aquela que fizer o maior número de gols na partida.

Natação

A natação trabalha todas as funções do corpo e isso a torna um dos esportes mais completos. É uma prática também conhecida por acalmar as pessoas, que logo após o treino costumam entrar em estado de relaxamento.

É imprescindível respeitar as limitações pessoais e adaptar as modalidades conforme os objetivos individuais, além de ser fundamental poder contar com um acompanhamento na hora do exercício.

A natação paraolímpica é classificada nas modalidades de nado livre, costas, borboleta medley e peito, com provas divididas nas distâncias de:

  • nado crawl ou livre: 50, 100, 200 e 400 metros;
  • costas: 50 e 100 metros;
  • borboleta: 50 e 100 metros;
  • nado medley: 150 e 200 metros;
  • peito: 50 e 100 metros.

Nesse esporte, as regras são as mesmas que as tradicionais, porém, devido à participação de atletas com diferentes deficiências, algumas adaptações podem ser feitas tornando a prova mais justa.

Ainda, dependendo do grau de deficiência, o competidor pode solicitar o auxílio de alguém da equipe para dar apoio na borda da piscina ao entrar e sair da água e isso é algo que você precisa ter em mente ao organizar.

Seguir todas as regras e normas de segurança para evitar acidentes é essencial. Essa atividade ajuda na mobilidade dos membros, dá a sensação de liberdade e ajuda a estimular o desenvolvimento físico e mental.

O organizador desse evento pode começar estudando como organizar uma competição de natação tradicional e, em seguida, entender como adaptá-la para a piscina do local do evento.

Esportes para deficientes físicos

Basquete

Esporte para deficiente físico basquete

A altura da tabela, as dimensões da quadra e as regras gerais são iguais às do basquete tradicional. É jogado por cinco atletas de cada equipe e a partida é dividida em quatro períodos, cada um com 10 minutos de duração. 

Ao fim, se houver empate, existe uma prorrogação de cinco minutos.

Para que o esporte seja justo, os jogadores têm um sistema de classificação conforme o seu grau de deficiência motora, que vai de 1.0 até 4.5, por meio do qual são baseadas as pontuações.

Atletismo

Atletismo para deficiente físico

Nesse esporte, a classificação é realizada com base na capacidade motora de cada atleta, considerando o tipo de sequela e a potência dos músculos não lesionados do competidor.

Existem alternativas para diversos tipos de deficiência, não somente física. Conforme a particularidade da competição, as provas são modificadas ou passam por adaptações.

Tênis de mesa

Tênis de mesa para deficiente físico

O tênis de mesa está presente desde a primeira edição dos Jogos Paraolímpicos, que aconteceu em 1960. As regras são praticamente as mesmas do modelo tradicional, diferenciando-se dele em poucos detalhes.

No saque, especialmente quando o atleta deve fazer com que a bola ultrapasse a linha de fundo sem que escape pelas laterais, deve ser realizado pela mão contrária àquela em que o competidor segura a raquete.

Essa regra só muda para atletas andantes, que não tenham condição de usar o braço livre por deficiência ou amputação.

Outra diferença em relação ao esporte tradicional é que a bolinha pode pular até duas vezes na mesa sem sofrer penalização.

Esse esporte também pode incluir portadores de outras deficiências, exceto visual. E pode ser competido solo, duplas ou times maiores.

Esportes para deficientes auditivos

As regras da maioria dos esportes para deficientes auditivos não alteram. Grande parte das atividades físicas que já conhecemos podem ser praticadas por eles, apenas são incluídos alguns traços próprios, como o árbitro, que deve usar sinais, apitos e bandeiras específicas para sinalizar situações da jogada como ponto, falta e impedimento, por exemplo.

Lembre-se de pesquisar sobre as leis que isentam inscrições de pessoas com deficiência física, existindo também a possibilidade de porcentagens de desconto ou meia entrada.

Em todas as práticas esportivas é fundamental respeitar as limitações individuais e adequar as modalidades.

É importante contar com o acompanhamento de um profissional especializado e respeitar todas as regras de segurança para evitar acidentes e estimular o desenvolvimento de cada indivíduo.

Material enviado com sucesso!

Em alguns instantes você vai receber os materiais na caixa de entrada do seu e-mail. Caso não receba, lembre-se de conferir o SPAM ou Lixo eletrônico.

O que você achou do post?

2 Respostas

Deixe seu comentário