Thruster no Crossfit: fazendo a diferença no WOD

O exercício, que é um dos clássicos que compõem o WOD do crossfit, trabalha diversos músculos ao mesmo tempo e traz diversos benefícios para o atleta.

Thruster crossfit

Um dos exercícios mais clássicos no crossfit é o thruster, que marca presença em treinos de iniciantes e também atletas de elite.

Isso acontece devido à diferença que pode fazer no WOD, que é “Work Out of the Day” - ou “treino do dia”, em português.

O movimento trabalha o corpo inteiro, desenvolvendo força, coordenação, poder explosivo, equilíbrio e resistência muscular.

O thruster surgiu da união de outras duas técnicas, o front squat e o push press e é considerado um dos movimentos mais completos, pois é capaz de trabalhar os seguintes músculos:

  • quadríceps;
  • isquiotibiais;
  • glúteos;
  • todo o complexo do core;
  • panturrilhas;
  • ombros;
  • tríceps; e
  • costas.

Por ser altamente funcional, o thruster também é utilizado em treinamentos desportivos para aumentar a força, melhorar o condicionamento físico e também ajudar no emagrecimento, pois utiliza grande quantidade de músculos e movimentos amplos que geram gasto calórico.

Devido à junção de movimentos, ele ainda trabalha a coordenação motora.

Como realizar o thruster

1.  Retire a barra do hack e coloque-a no “hack natural” do corpo (região da clavícula), abaixo do queixo e a apoie nos ombros.

2.  Mantenha os pés na largura dos ombros e as pontas dos pés ligeiramente viradas para fora.

3.  Realize um front squat e, no final, eleve a barra para cima da cabeça com máxima explosão, colocando o corpo ligeiramente a frente dela.

Dicas extras para realizar o thruster

  • Apesar da realização já conhecida do front squat, a pega precisa estar muito mais firme e os cotovelos ligeiramente à frente da barra;
  • ao agachar, é preciso baixar da paralela, ou seja, o centro da gravidade (ancas) deve estar abaixo dos 90º;
  • o press (levantar a barra acima da cabeça) só pode ser realizado ao estender as ancas, não faça o movimento do press cedo demais;
  • é necessário explosão, aproveite o front squat para transferir para os braços toda força e conseguir elevar e entendê-los;
  • comece treinando sem peso ou com um peso bem leve, para não correr o risco de prejudicar sua coluna.

Cuidados na hora de executar o thruster

Embora tenha muitos pontos positivos e você já conheça os movimentos que formam o thruster, é importante executar a técnica com um treinador de crossfit.

Comece a treinar sem peso, apenas com a barra, que pesa entre 15 a 20 kg. Isso ajuda a treinar a mobilidade, evitando distensões musculares e outros tipos de lesões.

O exercício também exige mobilidade articular, por isso treine também o agachamento.

Pessoas que sofrem de condromalácia patelar, hérnia de disco, escoliose, assim como todas as outras envolvendo a coluna vertebral, síndrome do impacto ou lesões no manguito rotador, devem evitar ao máximo este movimento.

Agora que você já sabe tudo sobre esse movimento que integra a modalidade de crossfit (mas não exclusivamente), pode começar a treinar e praticar.

Com todos os cuidados necessários para preservar sua coluna, temos certeza que os benefícios serão perceptíveis.

Material enviado com sucesso!

Em alguns instantes você vai receber os materiais na caixa de entrada do seu e-mail. Caso não receba, lembre-se de conferir o SPAM ou Lixo eletrônico.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário