Dor na panturrilha: o que pode ser e o que fazer?

Sentir dor na panturrilha após uma longa caminhada ou esforço físico pode ser comum, no entanto, não deve ser frequente. Entenda o que fazer para acabar com esse problema e descobrir o que pode estar ocasionando o mal estar.

Dor na panturrilha

Diferentes situações podem dar origem à dor na panturrilha. Entretanto, é comum que o desconforto apareça logo após a prática intensiva de exercícios físicos ou, em alguns casos, pode ocorrer com mais frequência em gestantes.

Contudo, os motivos que iniciam as dores podem ser variados, desde a má circulação sanguínea até doenças mais graves, como a trombose ou a ruptura do tendão de aquiles.

É possível controlar e erradicar as lesões em casa, mas, ao persistirem os sintomas, é indicado procurar um especialista.

A panturrilha, conhecida popularmente por batata da perna, possui três músculos principais que são utilizados de maneira intensa durante as corridas e longas caminhadas.

Apesar desses três músculos serem quase sempre os responsáveis pelo desconforto, existe a probabilidade de a dor estar relacionada aos nervos, vasos sanguíneos e tecidos que envolvem esses músculos.

Confira agora mesmo tudo sobre o assunto, o que fazer quando a dor na panturrilha aparece, as principais causas e recomendações para lidar com o problema.

O que pode causar a dor na panturrilha?

Ela pode ter início após uma cãibra na panturrilha, sintoma comum de fadiga muscular, que também pode ocorrer durante o sono.

A dor causada pela cãibra proporciona espasmos fortes e agudos e, em determinadas situações, é possível enxergar a forma como os músculos estão se contraindo, criando um nódulo totalmente visível.

Entre os motivos relacionados à contração do músculo, pode-se destacar a falta de minerais, prática intensa de exercício físico e fadiga muscular.

Contudo, em outros casos, a dor na parte de trás da perna pode estar associada a algum problema mais sério.

Entre os casos mais graves, o mais conhecido é o rompimento do tendão de aquiles, que é composto pelos nervos e ligamentos da panturrilha com o osso do calcanhar.

Em casos como esse, é aconselhável ir a um médico especialista esportivo para realização de um tratamento adequado.

Quais fatores podem ocasionar a dor na panturrilha?

A prática errada de atividade física, falta de minerais adequados, fadiga muscular e exercícios com carga de alta intensidade podem ser alguns dos motivos relacionados à dor na panturrilha.

Entretanto, existem outras alternativas para exemplificar o que pode ser a dor, confira abaixo!

1.  Má circulação sanguínea

Seja por falta de exercícios físicos ou alongamentos, esse motivo também é comum em gestantes, principalmente no final da gravidez.

Pessoas idosas e recém-operadas também podem sofrer com as dores ocasionadas pela má circulação.

Para resolver esse problema, é indicada a prática diária de alongamentos e atividades físicas, assim como redução de sal na comida ou uso de meias elásticas especiais.

Além disso, a má circulação pode trazer consigo outros problemas, como as varizes.

2.  Varizes

A dor na panturrilha ao caminhar pode estar relacionada com a aparição de varizes, que incham com a pressão da atividade, causando desconforto e sensação de peso e cansaço extremo.

O uso de meias elásticas, remédios específicos e a prática moderada de atividades físicas pode ser o mais indicado para aqueles que sofrem com o problema.

Em alguns casos, o médico pode aconselhar o tratamento com laser ou cirurgia para remoção das varizes. Lembre-se de procurar um especialista antes de iniciar qualquer tratamento.

3.  Tendão de Aquiles

O rompimento pode acontecer por prática intensa de atividade física ou algum traumatismo direto na região da perna ou calcanhar.

A dor é forte, aguda e de extrema intensidade, o que dificulta a caminhada e o movimento de encostar totalmente o pé no chão.

É comum que, ao romper esse tendão, as pessoas ouçam um estalo forte ou sintam como se tivessem sido atingidas por uma pancada na parte de trás da perna.

É necessário procurar por um médico nessa situação, pois o tratamento envolve engessar a perna e, em alguns casos mais graves, é preciso passar por cirurgias para reconstrução do ligamento.

4.  Estiramento na panturrilha

O estiramento ocorre geralmente durante a prática de exercício físico, quando o músculo da parte de trás da perna chega ao seu limite fisiológico.

O fator também pode estar ligado à combinação intensa de atividade física e temperatura, ou seja, quando faz muito calor ou muito frio.

A dor relacionada à lesão muscular é acentuada e pode ir se intensificando com o tempo, até que impossibilite o ato de caminhar.

O tratamento é simples: basta fazer compressas de água quente na panturrilha, alongamentos e, se necessário, utilizar pomadas analgésicas desenvolvidas para tratar lesões e dores musculares.

5.  Dor durante a corrida

A dor na panturrilha ao correr pode estar relacionada à condição física do atleta, isto é, ao sentir dores nas duas pernas ao mesmo tempo, significa que o atleta pode estar apenas fatigado devido ao exercício.

Para que essas dores sumam, é indicada apenas a prática frequente de exercício e ritmo estável, para que, assim, os músculos possam se acostumar com a frequência das atividades.

Porém, o incômodo na batata da perna durante a corrida também pode ser resultado de um alongamento fraco ou incorreto dos músculos.

Nessa situação, pare sua atividade imediatamente, sente-se no chão e alongue suas pernas por alguns minutos para depois voltar à prática da atividade.

6.  Trombose Venosa Profunda

O sintoma mais comum é o empastamento da panturrilha, isto é, o endurecimento da musculatura, além de calor, vermelhidão e edema de um segmento de veias.

A Trombose Venosa Profunda pode levar a óbito, isso porque a doença causa coágulos nas veias e esses podem subir para o pulmão, causando a embolia pulmonar.

Essa condição também pode acontecer em pessoas que sofreram AVC, cirurgias demoradas com aplicação de anestesia geral, câncer, doenças respiratórias graves e infarto.

Diagnosticar e tratar o problema precocemente reduz as chances de embolia. Para isso, é fundamental o acompanhamento médico e o consumo de medicamentos anticoagulantes e fibrinolíticos.

Quando devo procurar ajuda?

Deve-se procurar ajuda médica sempre que a dor na panturrilha for contínua e os tratamentos básicos de alongamento ou pomadas analgésicas não forem o suficiente para cessar o problema.

Além disso, sempre que você não souber o que fazer, procure o auxílio de um especialista, que poderá diagnosticar o motivo da dor através de exames e receitar o tratamento adequado.

Também é aconselhável procurar por ajuda quando:

  • não for possível caminhar tranquilamente sem dores intensas ou desconfortos pertinentes;
  • houver lesões que causam deformidade na perna;
  • notar sinais de infecção com vermelhidão na região afetada, febres altas e calor;
  • sofrer de dores noturnas excessivas e que persistem durante o repouso; e
  • em casos de dores diárias contínuas e inchaços.

Em muitas ocasiões, o exame físico realizado no consultório deve ser suficiente para o diagnóstico e para a realização do tratamento.

Caso a situação exija, exames sanguíneos e de imagem, como ultrassonografias, também podem ser requisitados para um diagnóstico correto.

Ao visitar o especialista, informe a data de início da dor e o que pode ter ocasionado a lesão ou o desconforto, além de detalhar os sintomas apresentados e relatar possíveis problemas de saúde e cirurgias realizadas nos últimos seis meses.

Material enviado com sucesso!

Em alguns instantes você vai receber os materiais na caixa de entrada do seu e-mail. Caso não receba, lembre-se de conferir o SPAM ou Lixo eletrônico.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário