O que acontece com o corpo de quem anda de bicicleta?

O corpo de quem anda de bicicleta acaba mudando com a frequência que a atividade é praticada, criando músculos, perdendo peso e influenciando inclusive no fortalecimento da respiração. Saiba detalhadamente como isso acontece neste artigo.

Acontece com o corpo quem anda de bicicleta

O corpo de quem anda de bicicleta muda com a prática do exercício, pois acelera o metabolismo e ajuda no processo de hipertrofia dos músculos, aumentando o ganho de massa magra.

Mas as vantagens não param por aí! Com a atividade, outras mudanças além da aparência física acontecem, como o aumento da capacidade respiratória, consequência do fortalecimento dos pulmões.

Dito isso, veja um pouco mais detalhadamente as mudanças que podem acontecer no seu corpo com a prática frequente do ciclismo.

O que acontece no corpo de quem anda de bicicleta?

Durante o exercício, os músculos da perna trabalham intensamente e, com isso, acabam ativando os biossensores que possuímos por todo o corpo. Esses mecanismos são responsáveis por emitir mensagens ao nosso cérebro avisando sobre o início da prática e "pedindo" mais energia e mais oxigênio aos pulmões.

Por isso, é comum que o atleta fique com a respiração acelerada durante o ciclismo. O mesmo acontece com a frequência cardíaca, que aumenta devido à necessidade de bombear mais sangue para outros membros do corpo, intensificando o fluxo sanguíneo.

Junto com essas funções, acontece o fortalecimento respiratório, isso é, ao exigir mais oxigênio dos pulmões, você acaba exercitando a respiração e aumentando o seu fôlego.

Além de toda essa alteração interna, existem ainda outras transformações visíveis que ocorrem na parte física, entre elas estão o aumento de massa magra, a definição dos músculos e o emagrecimento, resultado da queima rápida de calorias. Mas você sabe qual parte do corpo emagrece ao pedalar?

Andar de bicicleta emagrece qual parte do corpo?

Ao contrário do ganho de massa, que acontece somente nos membros inferiores, o emagrecimento é generalizado, não sendo restrito a nenhuma parte do corpo em específico, já que andar de bicicleta acelera o metabolismo, diminuindo os acúmulos de gordura pelo corpo,

Ao andar de bike por pelo menos 1 hora por dia, o seu gasto calórico pode chegar a 700 gramas em uma única atividade. Incrível, né?

Mas, se a ideia for definir a musculatura, aí será necessário aumentar a intensidade e a frequência do pedal.

Andar de bicicleta define o corpo?

Sim. Andar de bike com a frequência e intensidade certa auxilia na definição corporal dos membros inferiores e até mesmo um pouco dos membros superiores, mesmo que em menor nível.

Para definir o corpo a partir do ciclismo, o atleta deve pedalar três vezes por semana durante uma hora seguida, mantendo a Frequência Cardíaca Máxima (FCM) em 70%. Essa intensidade auxilia no processo.

Para além do pedal, os treinos intervalados podem ser uma ótima dica para quem deseja ganhar mais força e definir a musculatura corporal.

Mas, afinal, se a definição dos membros superiores não acontece proporcionalmente aos inferiores, então isso significa que apenas as pernas são trabalhadas durante o pedal, certo?

Na verdade, não. Veja só quais são os músculos do corpo que são trabalhados durante a atividade.

Qual parte do corpo trabalha ao andar de bicicleta?

Todos os músculos são movimentados durante o pedal, porém, os grupos musculares inferiores são muitíssimo mais explorados, tanto em quesito de força quanto em quesito de resultados. São eles:

  • Gastrocnémio - popularmente conhecido como barriga ou batata da perna;
  • Semimembranoso e bíceps femoral - fazem parte do grupo muscular dos isquiotibiais;
  • Glúteo máximo - pertence ao grupo muscular dos glúteos;
  • Sóleo - o músculo menos trabalhado durante o pedal.

Vasto medial, vasto lateral e reto femoral - pertencem ao grupo dos quadríceps.

Por ser necessário manter as mãos no guidão por todo o trajeto, os músculos superiores acabam se fortalecendo, assim como o tronco, mas esses resultados são quase imperceptíveis quando comparados aos membros inferiores e da região do abdômen.

Porém, se o seu desejo é ver resultados com o pedal, foque na lista de músculos que trouxemos neste artigo. Agora que você sabe quais partes são trabalhadas, saiba em quanto tempo o ganho de massa será perceptível.

Quanto tempo devo pedalar para ganhar massa muscular?

Ao contrário da musculação, que requer descanso entre os treinos, a bike não tem essa necessidade, sendo assim, se o objetivo for ganhar massa muscular, você deve andar de bicicleta no mínimo três vezes por semana, intercalando trajetos com subidas, descidas e velocidade.

O tempo mínimo de exercício deve ser de uma hora, principalmente no início e até que você ganhe resistência. Depois, aumente o tempo em busca de um treino que recrute o máximo de fibras musculares até a falha, essa máxima é responsável pelo ganho de massa.

Para que os resultados sejam satisfatórios, mantenha uma frequência de atividade por pelo menos três meses. Lembre-se de que a consistência é a principal aliada na busca por resultados.

Benefícios de andar de bicicleta

Além dos benefícios que o pedalar traz e que citamos ao longo do artigo, existem ainda outras vantagens associadas à atividade. Entre elas, podemos listar:

  • bem-estar emocional;
  • redução do colesterol;
  • prevenção e controle da diabetes;
  • melhora da coordenação motora;
  • controle da pressão arterial;
  • auxílio rápido na recuperação de lesões ósseas; e
  • controle da ansiedade e depressão.

Com tantos benefícios, andar de bicicleta pode ser considerado um dos esportes mais completos e com menor risco de lesões.

Depois de descobrir tantas vantagens, você está esperando o que para começar a pedalar hoje mesmo? Pegue sua bike, seu tênis e faça um bom pedal!

Material enviado com sucesso!

Em alguns instantes você vai receber os materiais na caixa de entrada do seu e-mail. Caso não receba, lembre-se de conferir o SPAM ou Lixo eletrônico.

O que você achou do post?

34 Respostas

Deixe seu comentário