Caminhada em jejum emagrece: mito ou verdade?

Qual é o objetivo de uma caminhada em jejum? Ela ajuda a emagrecer mesmo ou isso é um mito? Para que você entenda mais sobre esse assunto, apresentamos algumas vantagens e desvantagens sobre a prática. Confira!

Caminhada em jejum emagrece

Um assunto recorrente, quando se fala sobre treinos esportivos, é a alimentação do atleta. O que cada um deve comer, de acordo com a atividade física que pratica, em que momento comer, qual o ideal para um pré e pós-treino, são dúvidas muito comuns.

De maneira geral, a preocupação é estar saudável e bem nutrido, para não ter problemas com o esforço necessário para a prática escolhida.

Mas e os treinos em jejum? O que dizer sobre eles? As opiniões são muitas sobre esse assunto e grande parte dos profissionais acredita que não são benéficos à saúde.

Contudo, há pesquisas comprovando que a caminhada em jejum pela manhã aumenta em até 20% a queima de calorias, e aí? O que é mito e o que é verdade?

Assim como cada pessoa precisa de treinos específicos, também não podemos determinar se o treino em jejum é melhor ou não, de maneira tão generalizada. Isso porque vai depender das condições físicas e preparo de cada um, bem como entender a estratégia de alimentação, mantida pelo restante do dia - e não só no pré e pós-treino.

Como sempre enfatizamos, quando tocamos nesses assuntos, vamos repetir: um acompanhamento profissional, seja de um nutricionista e/ou preparador físico será essencial para conhecer melhor essas questões, individualmente.

O jejum é caracterizado por um período determinado em que o indivíduo fica sem se alimentar, geralmente num intervalo entre 6h e 8h.

Mas, além desse, também há o famoso jejum intermitente, que funciona, costumeiramente, com o 16/8, ou seja, jejuar por 16 horas e limitar a janela de alimentação para apenas 8h, durante o dia.

Por exemplo, se a última refeição foi às 18h, a primeira refeição será às 10h do dia seguinte.

Muitos atletas consideram esse tipo de jejum eficiente para alcançar objetivos de emagrecimento, perda de gordura e ganho de massa magra.

Mas, para decidir o que é realmente melhor para você, confira mais informações a seguir e lembre-se de procurar a ajuda profissional, antes de começar qualquer tipo de dieta e treinamento!

Prós e contras

O motivo pelo qual a caminhada pela manhã em jejum queima até 20% a mais de gordura corporal é que, nesse momento, a reserva de glicogênio está mais baixa e, consequentemente, a queima de gordura acontece mais rápido.

Por conta disso, muitas pessoas se sentem atraídas a realizar o treino dessa maneira, afinal, para aqueles que desejam perder peso, este pode ser um atalho bem atraente.

Porém, apesar da caminhada em jejum emagrecer, ela também faz o corpo cansar mais rapidamente, causando uma sensação de fraqueza. Podendo trazer uma diminuição do desempenho geral do atleta, assim como hipoglicemia (queda do nível de açúcar no sangue) ou hiperglicemia (aumento do nível de açúcar no sangue, que pode causar desidratação e fadiga).

Se bem orientado e usando os níveis corretos de intensidade durante um treino em jejum, é possível, sim, atingir bons resultados. Contudo, para isso acontecer, é necessário optar por exercícios leves e por um curto período, como um caminhada de 30 minutos.

Quem pode praticar o treino em jejum

Se a questão “caminhar em jejum faz bem” não foi respondida até aqui, podemos resumir desta maneira:

Assim, a indicação é que o treino em jejum seja feito apenas por quem já tem certo preparo e condicionamento físico, ou seja, quem já pratica atividades físicas regularmente.

Isso porque é importante o corpo já estar acostumado com o esforço que será realizado, para não sentir tanto a falta de uma refeição antes de treinar.

Outro detalhe para levar em conta: os corpos masculino e feminino se comportam de maneiras diferentes. Enquanto que o homem tem mais dificuldade para queimar gordura, a caminhada em jejum pela manhã pode ser mais benéfica para eles.

Já as mulheres possuem facilidade em fazer essa queima, portanto, não é necessário “cortar o caminho” com um treino em jejum e é melhor que elas se alimentem, antes de qualquer prática física.

Recomendações

Apesar de a maioria dos profissionais acreditarem que o treino em jejum diminui a performance do atleta, como mencionado anteriormente, a melhor recomendação que pode ser dada para quem quer caminhar em jejum para perder gordura é ir atrás de uma orientação profissional.

Um clínico geral, nutricionista, nutrólogo e/ou preparador físico são as melhores opções para ajudar a entender melhor como funciona o corpo em jejum e como a alimentação afeta, tanto positiva quanto negativamente, o funcionamento do mesmo.

Uma boa alternativa para conseguir alcançar objetivos, em se tratando da queima de gorduras, é a reeducação alimentar. Além de ser um bom auxílio no emagrecimento, também ajuda a pessoa a encaminhar um estilo de vida mais saudável com uma alimentação equilibrada.

Afinal, a reeducação não se trata de cortar alimentos e carboidratos, mas de encontrar um equilíbrio entre os alimentos.

Material enviado com sucesso!

Em alguns instantes você vai receber os materiais na caixa de entrada do seu e-mail. Caso não receba, lembre-se de conferir o SPAM ou Lixo eletrônico.

O que você achou do post?

50 Respostas

Deixe seu comentário